A importância de vacinar o seu gatinho

Na medicina veterinária é sempre mais importante prevenir do que tratar uma infeção.

Assim como para qualquer animal, as vacinas são essenciais para a vida longa e saudável do seu gato, assim como para proteger você e todos os que o rodeiam. Sem elas, os gatos morreriam de doenças de raiva, panleucopenia, complexo respiratório felino ou ainda do enfraquecimento imunológico provocado por essas doenças.

Atualmente, e com o acompanhamento veterinário correto, a incidência dessas doenças tem tido tendência a diminuir, graças a um programa de vacinação e um bom seguimento médico e nutricional. No entanto, se o seu gato não for devidamente vacinado na idade adequada ou ainda receber as vacinas com a saúde debilitada, ele não irá desenvolver os anticorpos necessários para viver. Também, quanto mais animais forem vacinados, menor é o risco de propagação de doenças.

Benefícios

Se forem devidamente imunizados quando filhotes e com um bom seguimento, os gatos adultos raramente desenvolvem doenças virais. Com o boletim de vacinas em dia, o seu gato poderá viver uma vida longa e saudável, podendo visitar parques, viajar, passear em espaços fechados com você e conviver com outros animais em total segurança.

No caso de uma viagem internacional, informe-se sobre as vacinas obrigatórias do país de destino, uma vez que nem todos os países têm os mesmos planos de vacinação.

As vacinas que existem para o seu gato

A vacina antirrábica, tal como para os cães, é obrigatória para os gatos e deve ser reaplicada a cada ano de vida.

Mesmo não sendo obrigatórias, existem outras vacinas altamente importantes para a qualidade de vida do seu gato. São essas a Vacina Tríplice (V3), a Vacina Quádrupla (V4) e a Vacina Quíntupla (V5). Essas vacinas protegem contra as doenças respiratórias mais comuns nos gatos (rinotraqueite (fHV) e calicivirose felina (FVC)) mas igualmente contra a panleucopenia felina (FPV). A diferença entre estas três vacinas é que para além de prevenir essas doenças, a V4 protege contra a clamidiose, e a V5 protege igualmente contra a clamidiose mas também contra a leucemia felina (FeLV), doença com altos níveis de mortalidade nos gatos.

O seu gato também poderá receber outras vacinas, dependendo do estilo de vida do mesmo. Assim, o seu gato poderá ser protegido de doenças como a Bordetella e o vírus da imunodeficiência felina.

A escolha da vacina a ser aplicada dependerá da opinião do médico veterinário, com base na exposição à doença ou ao vírus específico, e igualmente porque nem todos os gatos podem receber a vacina quíntupla.

Plano de Vacinação

Serve o seguinte exemplo como possível plano de vacinação de um filhote, mas vale relembrar que com qualquer protocolo dependerá da escolha do médico veterinário que irá aplicar a vacina, após uma consulta de avaliação clínica do seu gato. Nessa fase, é importante que informe o médico veterinário de qualquer sintoma que não seja comum. No entanto o filhote deverá receber a sua primeira vacina a partir de 40 dias de idade.

Idade Vacina a ser aplicada
Primeira dose Entre 40 e 60 dias Vacina Quádrupla felina
Segunda dose 1 mês após primeira dose Vacina Quádrupla Felina
Terceira dose 1 mês após a segunda dose Vacina Quádrupla Felina + vacina antirrábica
Reforço anual 1 ano depois da terceira dose (e cada ano subsequente) Vacina Quádrupla Felina + vacina antirrábica

É indicado que para gatos que são adotados já em idade adulta, e outros animais de rua, seja feito um exame de sorologia para o vírus da Aids e Leucemia Felinas antes de se iniciar o protocolo de vacinação.

O seu gato estará protegido depois de um determinado período após a segunda dose, período esse que será determinado pelo médico veterinário. Até que lhe seja dada uma data, deverá manter o seu gato dentro de casa.

Efeitos secundários

Assim como nós podemos ter diferentes reações quando tomamos alguma vacina, a mesma coisa acontece com os nossos gatos. Por isso, sempre que o seu gato for vacinado, fique atento ao seu comportamento: ele poderá ter sintomas como febre, inchaço na região onde a vacina foi aplicada, perda de apetite, vômitos, diarreia, ou ainda poderá sentir um pouco de desânimo.

Esses efeitos costumam passar depois de 24 horas, mas se os sintomas persistirem, procure ajuda do médico veterinário que administrou a vacina.

Entre em contato!

Preenchendo os campos abaixo

    Se preferir, ligue no (21) 3763-6645
    Assine nossa newsletter

    Receba nossos conteúdos com prioridade direto em seu e-mail