14. mai de 2021

Como sei que meu cão está com doença do carrapato?

Erliquiose Monocítica Canina, também conhecida como “doença do carrapato” ou apenas como “erliquiose canina”, é uma patologia causada pela bactéria gram-negativa Erlichia canis que afeta cães, entretanto, já foi registrada a presença da bactéria em gatos e humanos. O principal transmissor do agente etiológico é o carrapato Rhipicephalus sanguineus. A doença causa sinais clínicos que variam de moderados a severos, e é caracterizada por febre, trombocitopenia, leucopenia e anemia. Em casos crônicos, pode haver imunossupressão. A variação terminológica “erlichiose” também é muito utilizada.

A doença pode se desenvolver em várias fases, desde a mais simples com sintomas como perda de apetite e indisposição, até fases mais graves como inchaço ou inflamação das patas, febre, vômitos, cegueira, gengiva e mucosas pálidas, convulsões e sangramentos discretos a extensos.

Transmissão

Como já mencionado, a erlichiose é transmitida pela picada do carrapato marrom, muito comum em animais domésticos. Esse parasita é facilmente encontrado e se alimenta do sangue humano e de animais. Ele tem um ciclo de vida de 21 dias e sua fêmea consegue colocar até 3 mil ovos durante a vida.

Outras formas de infecção podem acontecer, tais como o contato com agulhas e outros instrumentos infectados, além de transfusão sanguínea. Após entrar no organismo do pet, as bactérias se multiplicam, atacando os linfonodos e órgãos internos (como o fígado e o baço) destruindo os glóbulos brancos do animal.

Como sei que meu cão está com Erliquiose?

O diagnóstico é difícil no início da infecção pois os sintomas são semelhantes a várias outras doenças, como a Cinomose, por exemplo. A presença do carrapato é relevante para a confirmação da suspeita durante a avaliação clínica. O diagnóstico pode ser feito através da visualização da bactéria em um esfregaço de sangue (exame que pode ser realizado na clínica veterinária) ou através de testes sorológicos mais sofisticados, realizados em laboratórios especializados. Quanto mais cedo for diagnosticada a doença, maiores são as chances de recuperação e cura.

Sintomas

Normalmente, o cão apresenta uma repentina falta de apetite e fica muito fraco e debilitado. O cão pode apresentar melhoras mesmo sem a doença ter sido exterminada de seu organismo, causando um engano no dono que não vai a procura de tratamento médico veterinário adequado, e depois dessa melhora aparente os sintomas podem reaparecer, bem como o animal pode continuar transmitindo o agente, o que torna a erlichiose uma doença muito perigosa e grave.

Tratamento

A Erlichiose é tratável apenas se descoberta antes do animal não ter perdido muito de seus glóbulos, ou seja, logo no começo. O tratamento é feito a base de antitérmicos, antibióticos próprios (do grupo das tetraciclinas) e suplementos vitamínicos (como o complexo B12).

Prevenção

A melhor prevenção é a exterminação dos carrapatos do cão, e o controle deles no ambiente em que o cão habita, e de produtos preventivos como coleiras antipulgas, sabonetes carrapaticidas, etc. Não há ainda vacinas preventivas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine nossa newsletter

Receba nossos conteúdos com prioridade direto em seu e-mail